Morre Lentamente – Pablo Neruda

Em épocas de “inferno astral”, de crises existencial, de cabeça girando a mil por hora.. Descobri (sim! nunca tinha lido!), esse poema que me encantou, animou e até rolou um “tapa na cara”.. 😉 rsrs

De qq forma, vamos não morrer lentamente… Vamos reagir, vamos chacoalhar, vamos viver!!!

A vida é dura! Mas, o mundo gira!

Morre Lentamente

Morre lentamente
Quem não viaja,
Quem não lê,
Quem não ouve música,
Quem não encontra graça em si mesmo

Morre lentamente
Quem destrói seu amor próprio,
Quem não se deixa ajudar.

Morre lentamente
Quem se transforma em escravo do hábito
Repetindo todos os dias os mesmos trajeto,
Quem não muda de marca,
Não se arrisca a vestir uma nova cor ou
Não conversa com quem não conhece.

Morre lentamente
Quem evita uma paixão e seu redemoinho de emoções, Justamente as que resgatam o brilho dos
Olhos e os corações aos tropeços.

Morre lentamente
Quem não vira a mesa quando está infeliz
Com o seu trabalho, ou amor,
Quem não arrisca o certo pelo incerto
Para ir atrás de um sonho,
Quem não se permite, pelo menos uma vez na vida, Fugir dos conselhos sensatos…

Viva hoje !
Arrisque hoje !
Faça hoje !
Não se deixe morrer lentamente !

NÃO SE ESQUEÇA DE SER FELIZ!

Pablo Neruda

Desejo saindo pelos poros!

Em Agosto do ano passado, dei (ou deram!) uma reviravolta na minha vida: sai do meu trabalho e com isso, perdi meu chão! Pelo menos um pedaço dele… Masss.. nesse meio tempo ja existia um projeto ainda em papel de uma super oportunidade de ter meu próprio negócio! E ai, conversei com meus provaveis sócios e resolvi, entrar de cabeça. Não procurei, nem aceitei outro emprego, esqueci minha zona de conforto e resolvi “parir” a Bierboxx!!  Tive que realmente mergulhar em conceitos, em criar uma empresa que tinha o melhor de todas as empresas que trabalhei, e não chegar nem perto de um monte de ações e situações “mambembes” que vivi por aí… Mas, essa foi a parte mais maneira! Nesse momento, meus sócios que já não eram prováveis, já eram efetivos, estavam na mesma pilha de fazer algo diferente e novo.  E ai devagar, com bastante stress, muitas risadas, discussões, dinheiro e muuuuiiiitas cervejas especiais, no dia 28/02, eis que nasce a Bierbox!!

E, na verdade contei toda essa história só para trazer a tona um sentimento que hoje estou vivendo, de prazer e satisfação por ter uma empresa com boas premicias, com energia boa, onde se da risada, e bebe-se cervejas espeiais… E, isso se reflete no resultado. E até as midias já estão falando disso… 🙂 isso mesmo, estamos na VejinhaSP, Quem, Pequenas Empresas, e aguardem que vai muito mais longe!!!

Mas, o melhor é que hoje, ja tenho alguns outros desejos saindo pelos meus poros!!! E, isso é lindo!

Vamos que vamos!!!!

10 pessoas especiais para tomar cerveja em 2010

Escrevi com muito carinho esse post para a promoção #10para2010, uma promoção da Bierboxx, e foi postado em primeira mão no blogbier no dia 28/12/2009.

Pelo carinho de ser o primeiro postado num outro blog (O primeiro  a gente nunca esquece!!!), resolvi replicá-lo aqui, para manter o registro 🙂

Divirtam-se! Com carinho, Má

——————————————–

Adoro pessoas! Especialmente pessoas que de alguma forma, têm ou tinham carisma, sorriso, um jeito especial de falar e de ser, uma forma especial de viver a vida. Pessoas que me levam a um sentimento de curiosidade, bons ou ruins, engraçados ou raivosos.

Quando me deparei com a missão de escrever este post, lembrei do livro 5 Pessoas Que Você Encontra no Céu (que aliás, li e recomendo), e tentei formular quem eram as 10 pessoas que eu gostaria de encontrar no bar. Melhor ainda se tomando uma cerveja: a gente sempre fala um pouco além, quando toma umas e outras.

Pois as 10 pessoas especiais que eu gostaria de beber cervejas (também especiais)em 2010 são estas:

1 – NANDO REIS

Foi o primeiro nome que me veio à cabeça e fiquei feliz em poder falar sobre o nosso relacionamento (risos). O Nando é uma figura que eu adoro.

Ele não sabe, mas, sou super íntima dele. Falo dele como um amigo, daqueles que a gente admira. Aquele tipo de pessoa, que num dia qualquer e sem motivo algum, sinto vontade de bater um papo e tomar uma cerveja. Sou tiete sim! Não daquelas de correr atrás e nem ficar gritando “LINDOOOOOOO” no show – no último que fui tinha umas meninas com um All Star na mão enquanto ele cantava: “…estranho é gostar tanto do seu All Star azul…” nada contra! – Eu sou fã daquelas de ter todos os CD’s no meu carro, alguns DVD’s e até um All Star preto, mas é de cano baixo! :-)

Acho divertidíssima a forma dele falar, divagar e cantar de um jeito lúdico. Muitas das suas letras, citações me (en)cantam.

“…prefiro as pernas que me movimentam!!!”

Não preciso dizer mais nada, né?

2 – GHANDI

Falar de Ghandi me preocupa pois pode parecer algo muito comercial e comum. Mas, fiquei ainda mais preocupada em misturar os assuntos: álcool e Ghandi. Assim, em total respeito e sem a intenção de desvirtuar Ghandi, meu copo está cheio de água. Admiro filosofias de vida e, principalmente, pessoas que as seguem sem se preocupar em como a sociedade vai julgar, o que vão dizer ou se vão gostar delas por esse motivo.

Mas, falando de Ghandi… ele defendeu por mais de 30 anos o conceito da “não-violência” e seus ensinamentos perduram no hinduismo e no jainismo até hoje. Era vegetariano porque achava que a comida servia unicamente para fazer com que o corpo funcionasse, e por isso fazia jejum constatemente. Renunciou ao sexo, mesmo casado, porque isso trazia pureza espiritual. Praticava o silêncio uma vez por semana para praticar a paz espiritual. Usava vestimentas feitas por tecidos que eram feitos por eles mesmos. Acreditava demais nas suas verdades e as transformava em experiências.

Mas apesar de saber que, na teoria, eu deveria ser aquele beija flor que enche o bico de água para apagar o incêndio na floresta enquanto os outros bichos fogem, eu confesso que na prática isso é muito difícil!

Uma das suas principais citações, ou melhor dizendo, vivência:

“Nós devemos ser a revolução que queremos ver no mundo.”

Profundo e admirável!

3 – CALVIN

Aqui também não quero nenhum tipo de processo por estar envolvendo criança nesse papo de cerveja, mas, Calvin é um caso a parte! E eu prometo que, se esse dia chegar, tomarei suco de laranja! E sem vodka!

Em pensar em Calvin eu já sorrio. Adoro! Sou capaz de ler várias vezes o mesmo livro dele em um mês e sempre achar a mesma graça ou mais graça ainda. Deve ser porque fui (ou sou!) um pouco Calvin na minha infância. Tudo é muito simples, tudo se transforma e tudo pode ser MUITO divertido e sarcástico. Aliás, os pais dele merecem um brinde, como sofrem os coitados! O Haroldo é o melhor parceiro e o amigo imaginário mais traiçoeiro que alguém pode ter. E a forma com que tudo é declarado e exagerado nas tirinhas é o que me encanta. Ficaria sentada, tomando uma(s) cerveja(s) e vivenciando essa “imaginação fértil (com bastante fertilizante)” por dias… Até porque, como diria Calvin:

“Os únicos conhecimentos que eu tenho paciência de aprender são aqueles que não têm uma real aplicação na vida” .

4 – DRÁUZIO VARELLA

Gosto bastante dos trabalhos do Dráuzio mas, ele entrou pra minha lista depois de eu ter lido o livro “Por um fio”. São pequenas histórias reais sobre pacientes em estado (praticamente) terminal, com AIDS ou Câncer.

É reconfortante, deprimente ou revoltante a forma com que as pessoas reagem a cada situação, mas, a delicadeza com que ele nos transmite a realidade e a forma com que lida em cada caso, faz com que suas ações pareçam ser algo leve! É muito mais que “sangue frio” ou simples “acostumar com isso”, como dizem os médicos por aí. É entender o humano além do ser, é ver coração além do orgão e é ver pessoas, além de pacientes.

“Fiquei tão feliz ao ver o bebê que comecei a rir. Parecia que ele de alguma forma me pertencia.”

5 – RUBINHO BARRICHELLO

Fórmula 1 é uma coisa que eu gosto bastante, e tenho um carinho em particular pelo Rubinho. Ele entrou na F1 frente às expectativas dos brasileiros de um substituto para o Senna e talvez isso o tenha cercado de tanta expeculação e crítica. Apesar de todas as piadas e comentários, ele está há 13 anos na F1, e isso não é para qualquer piloto. Acredito que ele mereça tomar uma cerveja comigo (risos!) pela determinacão, pela humildade, por ser super família, por ser simples no falar com nós – os melhores pilotos de F1 do mundo, pelo menos do lado de cá da TV.

“Agora começa uma nova etapa… Sempre com os pés no chão e com os braços abertos para o que está por vir…”

6 – EIKE BATISTA

Esse é o cara! Para quem não conhece a história dele, eu aconselho!

Admiro o senso de empreendedorismo, mas, principalmente seu lado visionário. Tiro o chapéu para pessoas que têm esse dom. Acredito muito em sorte ou “nasceu com o bumbum virado pra lua”, pois a forma com que sua vida desenrolou desde a adolescência, fez com que o sucesso parecesse só consequência. Mas, muitas pessoas vivem as mesmas oportunidades e poucas descobrem o poder do “X “.

“X é o sinal da multiplicação. Ajuda a multiplicar as riquezas.”

Alguém duvida?

7 – SAMANTHA JONES

Como a maioria das mulheres (que tem um lado “mulherzinha”), eu adoro seriados e um dos meus preferidos desde sempre é, Sex and the City. Sim, eu queria ser a Carry, com a sua coleção de sapatos e ter um Mr. Big. Mas, para tomar uma cerveja, eu gostaria mesmo é que fosse com a Samantha Jones. Super divertida, louca por sexo, desbocada e com frases picantes que choca ou diverte. Tem histórias de arrepiar (de susto ou desejo!) e um despudor para viver seus relacionamentos, que faz com que as mulheres fiquem boquiabertas, mas, morrendo de vontade de ter um pouquinho de suas libertinagens!

“Me masturbei a tarde toda pensando num padre. Ele tira os alimentos que trago nos braços, rasga meu vestido e me penetra.”

8 – GALERA DA FACUL

Ah, gente! Essa é fácil! O período da Faculdade foram os melhores anos da minha vida, mas só descobri quando acabou! Amigos eternos, pelo menos aqui dentro de mim. Não sei como eu conseguia fazer tanta coisa com a bolsa que recebia no estágio. Baladas TODOS os dias, segunda-feira era o único dia que a gente só ia tomar uma cervejinha na padaria, porque tinha que começar a semana light. Dormir 2 ou 3 horas por dia era natural. Amigos que viravam namorados e namorados que viravam amigos ou namorado da amiga. Comer na cantina da facul ou a comida que a mãe da Me mandava para a semana. Viagens para qualquer lugar desde que tivesse amigos e cerveja, o resto a gente dava um jeito.

Ah, sim a gente estudava e trabalhava também… A prova disso é serem todos bem resolvidos pessoalmente e financeiramente. :-)

Que tal uma cervejinha para comemorar os quase 10 anos de “Bons Tempos”?

“Qual a boa hoje?”

9 – SEU VALDOMIRO

Fui viajar para Chapada dos Veadeiros – GO e um dos pratos típicos da região é amatula. E o melhor lugar para comer é no Rancho do Seu Valdomiro.

Fomos até lá, mas, não tivemos coragem de comer… é tanta coisa nesse prato, que eu com o costume de frango grelhado e arroz, sushi ou pizza, me assustei um pouco e fiquei no tradicional. Mas, Seu Valdomiro estava lá. Figura marcante, um senhor com uns 70 anos, com um papo solto e um abraço apertado. No tempo que eu esperava o almoço, chegou um outro senhor que fazia uns 20 anos que não se viam, mas, eram amigos de infância. Com o tom alto da voz dos dois e um restaurante de apenas 6 mesas, a conversa me chamou a atenção e logo estávamos todos na mesma conversa. Bom, em 1 hora escutei milhares de histórias de tocar gado, andar pelas chapadas a pé, mato cheio de bicho, cachoeiras escondidas, etc.

A conversa era cheia de histórias, saudades e acabei saindo de lá saudosista pelo encontro deles. Na despedida, ganhei um abraço e uma cafungada no pescoço (risos) – Esse Seu Valdomiro…

“Smackkkkk , volte sempre!!”

10 – LULA

Para terminar essa minha fase de bebedeira, quis chamar alguém que adora uma cervejinha: nosso presidente Lula.

Acho que esse papo seria o mais longo de todos. São tantas dúvidas, questionamentos, aprovações e revoltas. Quantos mandatos de cervejinhas precisaríamos? Podíamos pedir algumas pizzas! Ou quem sabe panetones!

Poderíamos discutir:

  • Educação e Saúde (ou a falta delas).
  • Bolsa família
  • mensalão
  • R$ 697 milhões em viagens
  • Pré-sal.
  • O próximo mandato e  esse consultor de marketing “importado”
  • O que é marketing e o que é realmente ação para o país?

Aliás, fiquei sabendo por fontes governamentais que em 2010 nosso presidente ganhará o Prêmio Nobel da Paz.

Uau! Será que ele se inscreveu?

Um brinde a nossa política!

“Mandei um email para o Obrama..” (Merchan?)

Finalizo meu (pequeno) post, brindando a essas 10 pessoas e as 10 milhares de coisas que faremos para um 2010 bem mais divertido. Que venha o ano novo!

PS: Uma última sugestão para 2010. Faça o exercício de descobrir quem são as 10 pessoas que você gostaria de encontrar no bar. É uma experiência um tanto quanto polêmica e divertida. Vale a pena! E vale uma cerveja especial para acompanhar essas divagações!

Mudanças…

O conceito de mudar me traz um turbilhão de sentimentos…

Adoro mudanças, preciso delas de vez em quando para estar bem comigo.
Ja mudei muito nessa vida!!! De casa, de país, de cabelo, de cidade, de namorado, de estilos e até de forma a pensar na vida.

Mas, olhando friamente e sentimentalmente…
Mudanças sempre me deixam com medo, ansiosa, tensa, ressabiada. Chego a pensar em desistir.. Mas, aí penso como será a nova Marcela? Qual roupa ela vai usar, onde ela vai, com quem ele vai, o que ela vai falar, e descubro que meu medo é ruim, mas ele me leva a algo novo, que eu quero conhecer! Ver “qualé”! E aí me entrego de cabeça!

Faz 3 meses que dei (ou deram!) uma reviravolta na minha vida… No começo foi estranho, mas, eu precisava disso. Aproveitei e resolvi mudar tudo! Principalmente trabalho, pessoas, medos, conceitos, opniões! Saí totalmente da minha zona de conforto!

Se foi legal?
Divertido, tudo era novo!
Se valeu a pena?
Muito!
Se compensou?
Está compensando!
Se estou feliz?
Vixiii!!!
(Sabe aquela do baiano? Perguntaram, se ele gostava de mulher, e ele disse: – Muito! E, de farinha? Vixxxxiiii!!)

Hoje um pouco mais adaptada e mais relaxada, resolvi voltar a escrever no meu blog.
E só para não deixar passar: trabalho mais em paz, apesar de muito mais do que antes, durmo menos e mais profundo, dou mais risadas, mais carinho, mais atenção, mais cuidado com as pessoas e, principalmente comigo. Como diriam duas (queridas!) amigas “às vezes esquecemos que em se tratando de gentileza devemos começar por nós mesmos.” (esse post também fala disso. Vale a pena!)

Não é fácil, eu sei! Mas, quando se consegue ver o lado bom que o medo traz, tudo que é novo fica mais bonito, mais fácil!

E, falando em tudo novo… 2010 está chegando e essa época sempre traz promessas. Me sinto com 8 anos e esperando a volta as aulas para começar um caderno novo, com a promessa de que minha letra será linda, não vou apagar muito e nem deixar fazer “orelha” (minha mãe sempre brigava muito, por isso..). Mas, depois de 3 meses, eu ja estava pensando se ia demorar muito para o proximo ano chegar e eu poder começar um outro caderno…

A (minha!) moral dessa história é que sempre é hora de começar um novo caderno. Mas, se a orelha do caderno não incomodar, relaxa e escreva sua história assim mesmo!!!

🙂

Pensamento do Dia

“Faça as pessoas seguirem suas paixões e elas trabalharão até de graça”

Rishad Tobaccowala, CEO da Publicis Group e Media

Descendo a serra…

odovia-dos-tamoios-trecho-da-serra-de-caraguatatuba-litoral-norte-sp800

Descendo a serra...

Eu sempre tive muita vontade de morar na praia (ainda tenho!!), principalmente se for na Avenida Atlântica, praia de Leblon, cobertura, rsrs, brincadeiras a parte…
Mas, depois que ficamos mais velhas algumas coisas viram mais conceitos do que praticidade (isso vai virar um post!). Na minha última ida a praia, aliás lindíssima, comecei a perceber o quanto descer (ou subir!!) a serra é mágico!!!!

É o momento que começo a desligar das coisas da “cidade grande”, deixar prédios, semáforos, pra trás e começar a ver céu, mato. Se abrir a janela então.. um ar mais frio, mais melado. Depois de um tempo dá pra ver um pedacinho do mar lá embaixo, bem longe, normalmente é noite, e o céu ja está todo estrelado, e nesse momento eu nem lembro mais o que eu faço em São Paulo, já penso em chegar logo. Chinelo havaianas e cerveja na beira da praia? É isso mesmo que eu quero, na verdade eu preciso, ou melhor.. eu mereço!!! Comer alguma coisa num lugar maneiro e curtir o clima de praia… São Paulo? heim? O que é isso??? rs
Acho que ela é mágica mesma!!!

E só para confirmar… tem coisa pior que subir (ou descer!) a serra para voltar para casa?!?!? Ja entra no carro cansada, o trânsito começa a piorar (e essa é a parte que temos certeza que estamos chegando em SP!!!! rs) e já começamos a desligar das cervejas, e pensar no dia seguinte do trabalho, e neste viagem que descobri a magia da descida, abri o notebook para terminar uma planilha que precisava terminar para o dia seguinte, na subida…
… mas, eu estava de havaianas!!!

Mas, a serra é mágica!!!! A cada viagem é uma magia!!!!

Serviços fora de São Paulo – Oportunidade ou Ameaça?

Trabalhar com marketing por muito tempo faz com que a gente fique cada vez mais crítica ou chata no que diz respeito a serviços e/ou atendimentos.
A gente reclama sempre e muito dos serviços em São Paulo, mas, já experimentaram sair desta cidade que foi treinada e tem como cultura “o cliente tem sempre razão”?

Trabalho (também!) com eventos e depender de empresas terceirizadas fora da cidade de São Paulo, é se preocupar muito mais em se adequar ao que eles oferecem do que ao que você realmente precisa.
Ja vivi casos de ouvir as empresas me falarem: “Se mudar decoração de lugar, vou ficar chateada porque eu estudei e fui contratada para fazer isso. Você não pode mexer!”
Oi???? Eu conheço a minha empresa, conheço “meu eleitorado”, estou pagando por isso e não posso decidir sobre o que vou entregar para 500 pessoas??

Entendo perfeitamente que as pessoas são especializadas no que fazem e que muitas conhecem muito mais do que eu sobre muitas coisas. Mas, antes de decidir o que fazer, ela tem que entender minhas necessidades, quem são as pessoas que usarão, qual modelo de empresas, formal, informal, homens, mulheres…. O diferencial é o que faz diferença no meu trabalho!! E no destas empresas também!!!!

Podemos ver essa “falha” como oportunidade, onde as empresas poderiam se profissionalizar e passar a ter foco no foco do cliente. Ou como uma ameaça, todo esse treinamento e manutenção, tem custos maiores o que tornaria esses serviços mais caros e as empresas não as contratariam.

Entendo que em SP existem muitos eventos, e precisa-se investir (e ostentar!) mais. E com isso se gasta mais dinheiro, as exigencias aumentam e as empresas tem que se especializar mais.
O que eu como contratante agradeço imensamente!!!! Mas, como garantir qualidade e atendimento fora da cidade?

Antes que alguém brigue comigo, sei que em São Paulo tem muita coisa ruim, muitos atendimentos péssimos e muito do mesmo! Já sofri muito com algumas empresas de São Paulo!
Mas, tem muita coisa boa! A prova disso são as qualidades dos eventos que temos por aqui. (Posso indicar algumas..:D)

Mas, e aí: Oportunidade ou Ameaça?